Crédito recorrente
Odontologia
Campanha Março
Ed. Física
Transferência Presencial
Graduação Presencial
Graduação Pres
Crédito recorrente
Odontologia
Campanha Março
Ed. Física
Transferência Presencial
Graduação Presencial
Graduação Pres
previous arrow
next arrow


inteligencia-emocional

Desde a década de 90, quando Daniel Goleman lançou o livro Inteligência Emocional, que o tema vem tomando cada vez mais espaço e em cada vez mais áreas.

O que inicialmente se falava muito somente na Psicologia e Educação, hoje é usado como ferramenta no mercado de trabalho e por isso saber o que é e como aprimorá-la tornou-se essencial.

Inteligência emocional, de acordo com Goleman, é a capacidade de uma pessoa de gerenciar seus sentimentos de modo que eles sejam expressos de maneira apropriada e eficaz. 

O conceito não é dele, mas o seu livro o popularizou e podemos citar outras definições como:

“a capacidade de perceber e exprimir a emoção, assimilá-la ao pensamento, compreender e raciocinar com ela, e saber regulá-la em si próprio e nos outros” – Salovey e Mayer.

“capacidade de identificar e lidar com as emoções e sentimentos pessoais e de outros indivíduos.” – psicologia.

Podemos, então, de forma mais simplificada, dizer que inteligência emocional é a habilidade de compreender emoções (suas e de outros) e utilizá-las de forma adequada.

Pensando em todas essas definições, podemos compreender porque, inclusive, existe o chamado QE (quociente emocional), que veio para somar à ideia do antes utilizado QI (quociente intelectual).

Os estudos ao longo dos anos mostram que avaliar as habilidades pensando somente no QI é ultrapassado e não demonstra de fato a totalidade do ser humano.

A teoria de Goleman baseia a inteligência emocional em 5 pilares (autoconsciência, autorregulação, automotivação, empatia e habilidades sociais) e propõe 12 domínios essenciais para que ela seja desenvolvida.

Esses domínios fazem parte, hoje, do que se busca nos profissionais atuais e, por isso, se faz tão essencial entender sobre o assunto.

A inteligência emocional, assim como outras soft skills, pode ser trabalhada de forma a desenvolvê-la e com isso aumentar o quociente e os seus resultados pessoais e profissionais.

Existem, além do livro já mencionado, outros sobre o assunto e muitos cursos que falam sobre a teoria e também ajudam nesse desenvolvimento da inteligência emocional.

Nos dias atuais, se faz cada vez mais necessário investir não somente nas hard skills, que são as habilidades acadêmicas, mas também, e dada a devida importância, para as soft skills, que são as habilidades comportamentais.

As relações e o “como” elas ocorrem são de fundamental importância, não só na vida pessoal. Nos ambientes profissionais, os estudos mostram cada vez mais que pessoas altamente capacitadas emocional e comportamentalmente geram melhores resultados e que isso faz diferença no todo.

Não é moda e não é à toa que se escuta e se fala tanto em inteligência emocional. Já tinha feito essa análise?

 

última atualização em: 26 de abril de 2022