generalista-ou-especialista

Esta pergunta – generalista ou especialista? – poderia ser usada em vários contextos e para falar de diferentes assuntos. Aqui vamos focar na carreira profissional.

Nesse sentido, é melhor ser generalista ou especialista? E a resposta mais simples seria: depende. E é sobre isso que este artigo vai tratar.

Vamos começar com a definição de cada um dos termos:

Generalista: diz-se de ou indivíduo cujos talentos, conhecimentos e interesses se estendem a vários campos, não se confinando em uma especialização.

Especialista: indivíduo que possui habilidades ou conhecimentos especiais ou excepcionais em determinada prática, atividade, ramo do saber, ocupação, profissão etc.

Ou seja, o generalista tem um conhecimento do todo, porém com menos especificidade, devido ao todo ser muito amplo. E o especialista foca na especificidade e, com isso, não tendo em alguns casos conhecimento do todo.

Vamos usar um exemplo simples, utilizando a medicina. O clínico geral seria o generalista, ou seja, entende do corpo com um todo, porém, quando o seu problema é específico nos olhos, ele te encaminha para um oftalmologista, que é o especialista.

Usando esse exemplo, fica bem claro o porquê da resposta para a pergunta inicial ser “depende”. No caso da medicina, é preciso ter especialistas e também generalistas, não é um ou outro.

Contudo, em outras áreas profissionais o cenário muda.

A pergunta talvez deva ser: quero ser generalista ou especialista?

Existe mercado e cargos para ambos os tipos de profissionais e, por isso, a escolha deve ser feita baseada mais no perfil pessoal do que pensando no mercado de trabalho.

Nas empresas, um profissional generalista costuma exercer cargos de liderança pois, pela característica de conhecer e entender de vários aspectos da sua área, possui maiores habilidades para gerir e liderar.

Em contrapartida, os profissionais que fazem parte da sua equipe precisam ser especialistas, pois o funcionamento de cada subárea depende de profissionais com conhecimentos específicos.

Voltando aos exemplos: em uma agência de marketing, o diretor geral é formado em publicidade e com isso possui o conhecimento generalista da área, porém, para sua equipe, ele contrata tanto generalistas quanto especialistas. O diretor de arte pode ser generalista, porém, na sua equipe, ele precisa de designers (especialistas). O diretor de conteúdo também pode ser generalista, entretanto sua equipe é formada por especialistas em redação, em mídias sociais, em SEO.

É importante deixar claro que a questão de maior ou menor remuneração também depende. Em alguns casos o generalista ganha mais, entretanto em outros quem ganha é o especialista.

Nesse contexto, cada profissional deve procurar entender o que busca como objetivos de carreira e assim decidir atuar como um ou outro. E isso, obviamente, pode mudar no decorrer do caminho.

As graduações de formação tipo bacharelado são generalistas e, após finalizá-las, para se especializar é preciso fazer pós-graduação, ou outros cursos específicos. Podemos dar como exemplo os cursos de Medicina, Direito, Administração, entre outros.

Os de licenciatura são especialistas, pois formam os profissionais para atuarem em uma área específica da Educação. Assim são também os tecnólogos, que têm como foco uma área específica de estudo, como por exemplo os cursos de Serviços Jurídicos e Notariais ou de Investigação forense e perícia criminal, que trazem uma formação em uma área bem específica dentro de uma maior, que é o Direito.

Entender os conceitos de generalista e especialista, e tudo o que envolve essa atuação nas mais diversas áreas, ajuda tanto os que estão buscando uma formação inicial, quanto os que estão em busca das especializações. Ter clareza sobre qual caminho profissional seguir é essencial nas escolhas que serão feitas no decorrer dele.

Agora, responda, generalista ou especialista?

 

última atualização em: 10 de maio de 2022