Como seguir a carreira de Diplomata

Seguir a carreira de Diplomata pode parecer, à primeira vista, tarefa das mais complicadas e repleta de pré-requisitos acadêmicos, como títulos e especializações. É bem verdade que o concurso para o cargo é mesmo bastante exigente, concorrido e criterioso. Isso não significa, contudo, que o posto é inalcançável para profissionais de áreas não necessariamente tão ligadas assim à política e às relações internacionais.

Muito pelo contrário: para concorrer a uma vaga no Itamaraty basta que o/a candidato/a seja natural do Brasil, tenha maioridade e direitos políticos, comprove aptidão física e mental e, principalmente, apresente diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior. Se você for homem, adicione à lista a quitação com as obrigações do Serviço Militar.

A jornada não é simples, já que exige conhecimento e preparo, mas é bastante democrática no que diz respeito a profissões. Graduados em qualquer área podem prestar o concurso do Itamaraty e, com preparação adequada, podem ser aprovados e representar o país em terras estrangeiras.


Tão importante quanto saber o que é necessário para seguir a carreira de Diplomata é entender exatamente qual é o papel desta figura tão fundamental em um planeta com 193 países registrados na ONU, cada qual com suas bandeiras políticas, religiões, culturas e inúmeras particularidades.

Tamanho é o número de nações e seus interesses de diversas naturezas de umas para com as outras que tornou-se inevitável que cada uma delas tivesse seus próprios representantes distribuídos por todas as partes do mundo.

Entre as principais funções do Diplomata está informar, negociar e acompanhar debates e discussões internacionais para, assim, ser capaz de gerenciar as relações do país com outros estados, sempre atendendo às necessidades da sociedade brasileira em acordos e negócios e promovendo aspectos da cultura nacional no exterior.

Os benefícios da carreira de Diplomata

Há, atualmente, dentro do Itamaraty, uma condição de progressão na carreira dentro da Diplomacia, que começa com salário mensal de R$19.199,06. Além dos vencimentos e auxílios previstos em Lei, o profissional fixa residência no país em que for destinado a representar o Brasil, tendo todos os custos subsidiados pelo Ministério das Relações Exteriores e a possibilidade de vivenciar diversas culturas no rodízio aplicado em que os funcionários de chancelaria permanecem por período de 2 a 4 anos nos locais de atuação.

Ser Diplomata é, sem dúvidas, uma condição para poucos e requer preparo e qualificação. O que passa despercebido, porém, é que profissionais graduados e capacitados de todas as áreas podem exercer a função com excelência e aproveitar dos desdobramentos positivos que o cargo traz na esteira, desde que aprovados no concurso. 

 

Para a aprovação, é preciso entender que o esforço é importante, mas o método empregado no preparo é muito mais. Há uma série de dicas úteis em materiais que o UnidomBosco preparou e selecionou, junto do Grupo Ubique, que podem ajudar os futuros candidatos.


Como chegar lá

Por tudo o que foi mencionado acima, a carreira de Diplomata está entre as mais desejadas e concorridas. Para deixar você mais perto da vaga, o UniDomBosco desenvolveu um curso de Pós-Graduação com coordenação do Diplomata Marcílio Falcão que vai te preparar com todo o conhecimento teórico e prático para a realização do concurso de admissão à carreira de diplomata.

Você estudará temas como a língua portuguesa, geografia, história e introdução à diplomacia, política internacional, direito interno, política externa brasileira e direito nacional público. Tudo com o objetivo de estabelecer os parâmetros de atuação do Diplomata, estimulando ações compatíveis da atuação em dimensões conceituais, sociais, éticas e profissionais, além de prover o conhecimento da estrutura e funcionamento do Itamaraty, de modo que após a conclusão do mesmo o aluno esteja preparado para o concurso público de admissão.

O curso de pós-graduação é oferecido na modalidade EaD e tem duração total de 360 horas de aulas divididas em três ciclos, cada um composto por três disciplinas. Fazem parte do corpo docente os professores mestres e doutores: Christiane Silva Aquino Bonomo; Hélio Silva Filho; Juliano Alves Pinto; Leandro Vieira Silva; Paulo Henrique Gonçalves Portela; Rômulo Duarte Dias da Silva; Rômulo Figueira Neves; Thales Cavalcanti Castro.

O curso é indicado para profissionais graduados com interesse na área de diplomacia, relações internacionais, funcionários de embaixadas estrangeiras atuantes no Brasil e área internacional do setor empresarial. Após a conclusão, será entregue certificado emitido pelo UniDomBosco, instituição nota máxima na avaliação do MEC.

Saiba todos os detalhes da pós aqui e continue acompanhando o Blog e as redes sociais do UniDomBosco para ver mais conteúdo sobre ensino superior e mercado de trabalho.

 

 

última atualização em: 14 de dezembro de 2021